Sinfonia mecânica | LUCILA VILELA

maquina-orquestraMáquina Orquestra, 2014.

Uma sinfonia mecânica composta por máquinas inventadas soa no espaço como música visual. Movido por um complexo sistema de construção, Máquina Orquestra resulta de um encontro entre os artistas visuais Roberto Freitas, Marcelo Comparini e a dupla O Grivo, composta por Nelson Soares e Marcos Moreira. As máquinas que compõem a instalação sonora foram construídas com precisão em um longo período de residência artística. Com uma lógica científica, seguem uma espécie de partitura mecânica, elaborada com perfurações em bobinas de papel. Os sons emitidos por essas construções é controlado pelos artistas que improvisam durante a cena compondo uma música atmosférica, experimental e imprevisível.

No palco, a orquestra se dilui em um emaranhado de fios que torna visível o aparato tecnológico. A disposição dos objetos no espaço dialoga com uma projeção que capta detalhes do mecanismo de funcionamento, acentuando o caráter visual da instalação. As máquinas sonoras ou instrumentos visuais manifestam-se em um híbrido de paisagem cênica. Na performance, os ruídos provocam uma oscilação entre a escuta e o olhar.

A pesquisa dos artistas vem de longa data, Roberto Freitas chama de trapizongas as engenhocas que elabora com fins artísticos, cinéticos e/ou sonoros. A operação que adota o artista lida com o dispêndio e a transformação de energia, no entanto suas trapizongas muitas vezes brutas e desajeitadas carregam uma forte dose de poesia: sutis imagens aparecem no meio de um complexo sistema de organização mecânica. Seu interesse nas possibilidades sonoras se expandiu na parceria com o duo O Grivo que investiga o uso de instrumentos não convencionais, na construção de mecanismos sonoros compostos através de fontes acústicas e eletrônicas. Marcelo Comparini, além de uma notável produção em pintura, também trabalha com restauração de instrumentos musicais e desenvolve um sólido interesse pela fusão entre imagem e som. O projeto que une esses quatro artistas foi contemplado pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais -10ª edição, e segue seu caminho movido pelas máquinas orquestradas.